Entenda como funciona nossa consulta nutricional

Entenda como funciona nossa consulta nutricional

Muitas pessoas tem dúvidas ou não conhecem a nossa consulta nutricional. Por isso, resolvemos trazer aqui algumas explicações sobre o que falamos e o que analisamos em uma consulta.
A primeira coisa que realizamos é definir junto com o paciente qual é o objetivo que ele deseja alcançar. Alguns chegam na clínica com o intuito de emagrecer, outros ganhar massa muscular, como também melhorar alguns sintomas. Para isso, vamos descobrindo um pouco da história do paciente, dos hábitos sociais e de sua rotina. Com isso, conseguimos criar um plano alimentar de acordo com a necessidade dele.
Mas somente isso não basta para realizar a avaliação. Vamos um pouco mais a fundo. Fazemos perguntas do tipo: como está o sono (se não está regularizado, dificilmente o paciente vai conseguir ganhar massa muscular ou perder gordura de forma efetiva), se ao acordar tem disposição, entre outras coisas. É importante verificar como estão essas coisas para poder adequá-las junto com a alimentação ou usar uma alimentação que seja suficiente para melhorar esses aspectos.
Além disso, nós buscamos entender se o paciente realiza ou não atividades físicas. Se sim, quais são os exercícios que ele faz e em qual horário; qual é o nível de estresse que possui e que tipo de alimentação adota; se possui alguma patologia, como: diabetes, hipertensão, problema cardíaco, etc ou sintomas específicos, como: rinite, sinusite, herpes, dermatite, alergias, gastrite, dor de cabeça frequente, unhas fracas e queda de cabelo.
É importante saber e identificar os problemas que o paciente tem, pois tem vários sintomas que a gente consegue melhorar ou tratar com a alimentação. Mas nem sempre a alimentação vai ser o único fator que resolverá o problema ou sintoma, mas pode ser um tratamento complementar e que ajudará na obtenção de resultados.
Mas além dessas questões, averiguar como a saúde intestinal está é muito importante nesse processo, porque ele relaciona-se com tudo o que acontece no nosso organismo. Se o intestino está desequilibrado, consequentemente, o paciente terá vários problemas de saúde. Desde problemas como falta de absorção de nutrientes, imunidade baixa e o aumento de doenças inflamatórias. Por isso, manter o intestino saudável é bem importante. Identificar essa questão também cabe a uma consulta de função nutricional.
Na consulta é solicitado exames básicos, como de hemograma, colesterol, entre vários outros. E também exames de vitaminas e minerais. Estes exames serve para identificar a quantidade de nutrientes que está no sangue do paciente. A partir disso, podemos modificar a rotina alimentar dele ou fazer uma suplementação específica. O foco principal é deixar as vitaminas e minerais em uma quantidade ideal no corpo. Quando isso ocorre, o paciente consegue chegar no resultado desejado, seja perder peso ou ganhar massa muscular.
Nós também fazemos um questionário emocional, porque sabemos que as questões emocionais estão ligadas com a falta de nutrientes ou com o desequilíbrio intestinal. E por isso, não deixamos essa parte de lado.
A alimentação correta e com um auxílio de profissional pode ajudar em todos esses fatores. Todas as consultas feitas na clínica são individuais e personalizadas, conforme o perfil de cada um. Ou seja, vamos adaptar uma alimentação conforme a sua necessidade. Se você tem interesse e deseja conhecer mais, entre em contato com a clínica através do WhatsApp (011) 94581-3819 e saiba mais.

Saúde respiratória: como os alimentos podem intervir nesta situação?

Saúde respiratória: como os alimentos podem intervir nesta situação?

É normal que quando o inverno chega ficamos propensos a adotar culturalmente hábitos alimentares diferentes do que estamos acostumados no verão, ou em qualquer outro período. Afinal, alimentos quentes e calóricos comparados aos frios nesta época do ano não parecem fazer mal. É com este pensamento que muitas pessoas se enganam e acabam prejudicando a saúde intestinal, e por conseguinte, a saúde respiratória. Se você faz parte destas pessoas e gostaria de entender o que fazer para melhorar a saúde respiratória no inverno, continue lendo o texto.
No frio, a baixa umidade do ar e as mudanças de temperatura são motivos de preocupação. Mas mesmo assim, as pessoas não dão atenção para um item fundamental: a alimentação. Ela está diretamente ligada as principais enfermidades dessa época, como gripes, resfriados, rinite, sinusite, asma, bronquite, entre tantas outras.
A melhor forma de combater ou evitar essas doenças é através da imunidade. “Hoje em dia já sabemos que a imunidade tem uma relação direta com a saúde intestinal. O nosso intestino funciona como uma barreira para entrada de organismos patogênicos e por isso devemos mantê-lo sempre saudável e íntegro”, explica a nutricionista funcional Camila Laranja.
Se você possui alguma doença respiratória, antes de ir em busca do que tomar ou o que comer para melhorara-la, é importante realizar uma averiguação de como está a sua saúde intestinal.
Muitos não sabem, mas o intestino é um órgão responsável pela imunidade da pessoa. Se ele está desequilibrado, consequentemente, a imunidade é a mais atingida. Por isso, é importante cuidar dele para que a imunidade esteja alta, e assim, prevenir ou solucionar questões respiratórias. Até porque, um intestino equilibrado vai proteger o corpo de vírus, bactérias e do excesso de fungos. Os quais, na maioria das vezes, são responsáveis por desencadear um ciclo de doenças respiratórias.

Como cuidar disso?

O que vai definir se o nosso intestino está ou será prejudicado é a nossa alimentação. Pois consumir alimentos industrializados em excesso comprometem a nossa imunidade. Por isso, fazer uma auto avaliação em relação do que está ingerindo de ruim será efetivo para uma mudança alimentar.
Se você está disposto a mudar o hábito alimentar atual para para ajudar a saúde intestinal e prevenir que os sintomas respiratórios aumentem, o ideal é ingerir prebióticos e probióticos. Ou seja, alimentos como: kombucha (repõem bactérias boas no intestino), fibras, alho, batata doce, banana verde, gengibre, coco, geléia real, entre outros. Alguns destes vão alimentar as bactérias boas do intestino e outros são bons para a imunidade.
Enquanto alguns alimentos beneficiam, outros devem ser evitados por ter um
potencial alergênico maior. Os grandes vilões são o leite e seus derivados, assim como o trigo, glúten, soja e oleaginosas, além dos alimentos processados com aditivos químicos, conservantes,emulsificantes e adoçantes artificiais. É importante excluir alimentos agressores para recuperar a mucosa gástrica e intestinal e dar preferência à alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, temperos naturais e água em quantidade adequada.
Se você ingerir em quantidades e horários adequados sentirá a mudança gradativamente em sua saúde intestinal e respiratória. Mas é muito importante acrescentar que além de ingerir estes alimentos, você deve cuidar para não esquecer de outras práticas no inverno. Como por exemplo, realizar atividades físicas.
A vista disso, percebe-se que não é apenas uma única questão que envolve a recuperação da saúde respiratória. Mas sim, um conjunto de fatores que englobam aquilo que muitas vezes são despercebidas pelas pessoas. Devido a isso, em alguns casos é necessário o acompanhamento de um profissional na área para auxiliar no processo de recuperação da saúde intestinal.
 

Qual a importância de ingerir alimentos orgânicos?

alimentos orgânicos

A cada ano as pessoas conscientizam-se e percebem o quão importante é para a saúde evitar ao máximo de usar alimentos com quantidades exorbitantes de substâncias tóxicas. Se você encaixa-se entre estas pessoas e quer entender quais alimentos devemos evitar e quais necessitamos prestar mais atenção, continue lendo este texto.
Já não é mais novidade para ninguém que os agrotóxicos são utilizados na maioria da produção e colheita dos alimentos consumidos pelos brasileiros. Porém, o que muitos esquecem é que estes produtos trazem danos à saúde do produtor, consumidor e ao meio ambiente.
Para quem ainda não sabia, desde 2009 o Brasil é o maior consumidor desses produtos, segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA. Isto quer dizer que a cada dia estamos mais aptos a estar “presos” nesta cadeia alimentar. Perante isso, percebe-se a importância de entendermos melhor sobre o que são os alimentos tóxicos e como podemos evitá-los.

O que são alimentos tóxicos?

Diversas pessoas sabem o que são e onde é mais comum encontrá-los. No entanto, o que ainda não é de conhecimento de todos é que estamos sempre expostos a uma carga tóxica muito grande em pequenas quantidades de alimentos diários. Por exemplo, você sabia que aquele copinho de plástico que você usa para beber café libera substâncias, que segundos estudos, são considerados maléficos à nossa saúde?
O copo de plástico quando aquecido pelo café ou chá quente, pode liberar toxinas como o Bisfenol A. Da mesma forma vai acontecer quando você for esquentar algum alimento em um pote de plástico no microondas. Ou até mesmo é comum encontrá-lo em uma garrafa de água quente que esquecemos no carro. Geralmente esta substância apresenta grandes riscos de gerar câncer e infertilidade.
Normalmente, se o alimento ficar por um longo período dentro de um recipiente de alumínio, seja uma panela ou não, tem grandes chances de ser contaminado pela carga tóxica que dela será liberada.
As maquiagens usadas diariamente pelas mulheres contém chumbos e demais toxinas que são altamente pesadas e podem ficar no nosso intestino.
Shampoos, condicionadores, desodorantes e dentre outras coisas, passam pela nossa rotina de maneira tão comum que nem sempre damos a devida atenção para as consequências que podem gerar.

Mas afinal, como podemos evitar estas toxinas no nosso organismo?

O primeiro passo é escapar das comidas industrializados e inflamatórios. Ou seja, aos poucos reduzir a proximidade com os alimentos que liberam uma carga tóxica muito grande. Além disso, o ideal também é restringir a prática de usar copos e potes de plásticos, além de, alumínios.
Mas se você estiver com uma exposição muito grande em relação a estas toxinas, o melhor é você oferecer um suporte para o organismo. Este suporte será com base em nutrientes que serão capazes de realizar a destoxificação.
Se isso não for feito, com o tempo o corpo vai acumulando cada vez mais as toxinas e trazendo efeitos colaterais indesejáveis. Por isso é importante usar alimentos que favoreçam a eliminação das toxinas alojadas em nosso organismo.
Para isso, as hortaliças brássicas ajudam nesta fase de destoxificação. Pois contém uma grande quantidade de glicosinolatos. Além disso, o suco de couve crua, as espirulinas e clorofila também podem podem contribuir nesta fase.
Consumir alimentos antioxidantes também é muito importante. Estes alimentos são aqueles não processados, como frutas, verduras, legumes e temperos. Eles contém vários compostos antioxidantes e muitos fitoquímicos que ajudam o nosso sistema antioxidante.
Ou seja, todas as vezes que estamos expostos a produtos industrializados as chances de lesar as células aumentam. Isso contribui para o envelhecimento delas. E por consequência, todos estes fatores se encaixam para desenvolver doenças. Portanto, é importante evitar os alimentos industrializados e prevenir com alimentos que ajudam nestas questões.
Depois disso, dentro das condições financeiras de cada um, o adequado é realizar uma mudança maior. Começar a consumir mais alimentos orgânicos, aqueles que são produzidos e colhidos com o mínimo de agrotóxicos possível na agricultura.

Intestino irregular: o que fazer para solucionar?

como deixar o intestino regular?

É comum encontrar pessoas que sofrem com irregularidades no intestino. Esse problema atinge muitas pessoas e às vezes elas não têm conhecimento sobre isso. Se você faz parte destas pessoas, este é o texto certo para você. Pois foi desenvolvido para sanar algumas dúvidas sobre como resolver o problema e deixar o intestino regular.
Como deve ser de conhecimento de muitos, para o intestino funcionar de maneira correta é preciso que ele esteja com a regularidade adequada. Ou seja, ele não pode estar lesionado.
Porém, é normal que com o passar do tempo podemos ter este risco. Pois são vários fatores que atuam juntos e deixam o nosso intestino irregular. Ninguém está a salvo. Principalmente, se houver o hábito de consumir comidas industrializadas e inflamatórias. Elas irão contribuir ainda mais para que os problemas intestinais aumentem.

Quando eu sei se o intestino está irregular?

Ir ao banheiro todos os dias não garante que o seu intestino esteja regular. Se está era sua dúvida, saiba que se a consistência das fezes não é boa, demonstra que você também tem problemas relacionados com o intestino. E que precisa ser solucionado antes que a situação se agrave. Então, preste atenção, uma vez que isso pode ser um sinal.
Gases excessivos, inchaços e dores são alguns dos sintomas mais comuns para quem não está com o intestino regular. Não buscar ajuda profissional para tratar deste problema, pode levar a riscos maiores. Como por exemplo, fazer com que o intestino pare de funcionar ou então que não funcione como deveria.

O que fazer para deixar o intestino regular?

É um conjunto de fatores que envolvem a recuperação do intestino. Muitas pessoas pensam que apenas mudar a alimentação é o suficiente, porém, não é. As vezes é preciso que a pessoa tenha uma suplementação diferenciada. Em alguns casos, o uso de pré-bióticos e probióticos, ou até mesmo ativos específicos será necessário para recuperar a mucosa intestinal.
Somente depois disso, a alimentação adequada entrará em cena. Ela serve para manter o intestino regular. Ou seja, depois que você corrigir o intestino com a suplementação correta, a alimentação irá dar continuidade para mantê-lo regularizado.
É importante frisar que a alimentação possui extrema importância na recuperação de um intestino irregular. No entanto, nem sempre o intestino será regulamentado apenas com uma alimentação.
Outro detalhe que deve ser tomado por pessoas que estão tentando regularizar o seu intestino, é que não está liberado voltar a comer alimentos inflamatórios e industrializados. Se você fizer isso, fará com que volte a ficar irregular da mesma forma que antes.
Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco clicando aqui.

Qual é a relação entre ansiedade e alimentação?

 
Você sabia que o Brasil é o país latino-americano campeão no quadro de pessoas que têm ansiedade? Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% da população brasileira manifesta o quadro nos últimos anos. Isso não afeta somente relações laborais, mas também familiares e amorosas. Neste artigo, você vai compreender de que forma usar a alimentação para combater este mal.
Segundo o dicionário, a ansiedade é uma emoção de estado desagradável de agitação interior que é acompanhada de comportamento nervoso. Ou “sofrimento de quem espera o que é certo vir; impaciência”, descrito pelo Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.
Lembra sua primeira entrevista de emprego? Todos nós já passamos por esse momento de nervosismo, não é mesmo? É inevitável que em algum momento da nossa vida não possamos passar por este sentimento. Todavia, quando falamos em ansiedade devemos distinguir que ela significa um sentimento de extremo. Ou seja, extrapola o que é considerado sentimentos de euforia normais.
Neste texto, vamos falar especialmente sobre a relação que a alimentação e a ansiedade possui. Para isso, vamos subdividir os tópicos para um melhor entendimento.

Por que a alimentação interfere na ansiedade?

Sabemos que são vários fatores que influenciam no desenvolvimento e aumento da ansiedade, e entre eles está a alimentação. Provavelmente, você deve estar se perguntando: mas por que a alimentação interfere na ansiedade? As causas que desenvolvem a ansiedade estão relacionadas com a falta de nutrientes, desequilíbrio de neurotransmissores, alterações hormonais etc.
A nutricionista Camila Laranja, explicou em seu vídeo do Youtube que existem neurotransmissores (compostos químicos produzidos pelos neurônios) responsáveis por transmitir as informações necessárias para o corpo. E é na funcionalidade dos neurotransmissores que a alimentação se encaixa.
Ou seja, as emoções alteradas ou agitadas estão relacionados com a falta de alguns neurotransmissores, como por exemplo, a serotonina, gaba e dopamina. Estes neurotransmissores fazem com que as suas emoções sejam alteradas e desenvolvam possíveis doenças psicológicas. Por isso é recomendável uma avaliação individual para analisar cada caso.

Eu tenho uma alimentação saudável e mesmo assim sofro com a ansiedade. O que pode ser?

Uma alimentação correta pode ajudar na saúde intestinal e assim melhorar a absorção de nutrientes e síntese de neurotransmissores como serotonina, dopamina e gaba que são importantes em casos de ansiedade e depressão.
Veja abaixo os alimentos que podem contribuir no combate de ansiedade.

Contudo, não adianta ingerir tantas vitaminas se não são absorvidas da forma correta pelo seu estômago ou intestino. Se ambos estão acostumados a comer alimentos industrializados, não vai adiantar quase nada. Geralmente, nestes casos as pessoas tem disbiose (desequilíbrio intestinal) e devem tratar primeiro este sintoma, para que então os nutrientes sejam absorvidos da forma correta.
Se não for observado e tratado no início, provavelmente pode piorar a situação e trazer mais irritabilidade e compulsão. Por isso, é importante fazer um acompanhamento adequado com exames de sangue para verificar se existe ou não a falta de nutrientes importantes na produção dos neurotransmissores.

Como tratar a ansiedade?

Às vezes você faz terapia, exercícios físicos, acompanhamento psicológico e mesmo assim possui uma deficiência de neurotransmissores que somente a alimentação vai contribuir.
Por isso, é importante junto com um hábito alimentar saudável se adaptar com a prática de ingerir chás, pois além de ajudarem a acalmar a ansiedade, contribuem com a formação dos neurotransmissores e também como anti-inflamatórios e antioxidantes. Exemplo disso, é a camomila, melissa, cidreira e a passiflora (flor do maracujá).
Em geral, é muito importante que as pessoas prestem atenção na saúde intestinal, pois ela tem estreita relação com a saúde emocional. Além do mais, evite alimentos inflamatórios, industrializados e super processados e comece a incluir alimentos ricos em fibras e tomar bastante água.
Mas atenção: a alimentação é somente um dos fatores que devemos prestar atenção no caso da ansiedade. Recomendamos para quem tem isso buscar ajuda para tratar a parte emocional também, além de fazer as mudanças alimentares e exercícios físicos.
Aqui na Clínica Dra. Camila Laranja, contamos com uma equipe multidisciplinar e também com psicóloga que podem te ajudar em todos esses pontos e quaisquer dúvidas que você tem.
Se este conteúdo te ajudou, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais para que os seus amigos também possam ver. Até a próxima!

Saladas sempre são saudáveis?

Aí você pede uma salada, esperando comer algo super saudável…e nem sempre ela é tãaao saudável assim!
Por exemplo, você pega um prato que tem mais presunto cru e um molho doce do que folhas.
Os molhos quando feitos com açúcar, xaropes, gorduras artificiais, corantes e conservantes não são uma boa pedida.

Veja baixo o que você pode usar para incrementar as folhas:

– Castanhas – amêndoas, nozes, castanha do Pará picada;
– Frutas picadas – pra quem gosta da mistura do doce com o salgado vale a pena tentar;
– Croutons de grão de bico – tem receita aqui em posts anteriores;
– Algumas folinhas de ervas aromáticas frescas como hortelã ou manjericão;
Já para molhos naturais:
– Limão com azeite e ervas variadas (É básico, não tem erro);
– Tahine (pasta de gergelim) com limão e azeite;
– Pesto – pode dar feito com alguma castanha + azeite e manjericão ou alguma outra folha. Trocar o manjericão por rúcula ou agrião também é boa ideia.

Nossa matéria para a revista Boa forma com receitas de sopas detox

“No friozinho, nada como tomar uma sopa para esquentar o corpo – mas é preciso tomar cuidado com a escolha dos ingredientes (e dos acompanhamentos) para evitar calorias extras…”
Confiram no link a seguir nossa matéria completa para a revista Boa forma com receitas de sopas detox:
https://boaforma.abril.com.br/culinaria-saudavel/sopa-detox-2-receitas-gostosas-que-ajudam-a-desintoxicar-o-corpo/

Torta Salgada- aprenda como fazer uma torta nutritiva

Aí você chega em casa tarde e resolve inventar uma receita com o que tem no armário, sai uma torta salgada deliciosa e você percebe que a mesma massa (Que por sinal é super fácil e rápida de fazer) pode até virar um pãozinho!
Ingredientes para a massa:

  • 4 ovos
  • 8 colheres de sopa de farinha de sorgo (com aveia também dá certo)
  • 2 colheres de sopa de psylium
  • 4 colher de sopa de água
  • 1 colher de sopa de fermento químico em pó
  • Alho, salsinha, orégano e cebola desidratados a gosto
  • Cúrcuma a gosto
  • Sal a gosto
  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem

Mode de Preparo

  • Misture todos os ingredientes menos o fermento. Posteriormente, acrescente o fermento e reserve.
  • Para o recheio use atum em azeite, tomate, cebola picada e alho poró refogado. Logo depois misture tudo e tempere com orégano e um pouco de azeite.
  • Em seguida, monte na forma uma camada de massa, uma de recheio e outra de massa.
  • Por último, leve ao forno pré aquecido por 30-40 min. E enfim, está pronto!

Viu como é fácil? Antes de mais nada, para se alimentar de forma saudável ter um acompanhamento nutricional é importantíssimo. Dessa forma, você consegue saber exatamente quais são os alimentos necessários para a saúde do seu organismo.
Com uma alimentação adequada podemos melhorar sintomas de artrite, rinite, sinusite, gastrite, refluxo, compulsão alimentar, doenças auto imunes, síndrome do ovário policístico, constipação intestinal, síndrome do intestino irritável, candidíase frequente, infecção urinária de repetição. Do mesmo modo, pode ajudar em diversos desequilíbrios estéticos como acne, queda de cabelos e unhas fracas. Interessou-se? Que tal agendar uma consulta?
Entre em contato conosco!

Aprenda a receita Brownie Low Carb muito mais nutritiva

Receita de Brownie Low Carb 😋
É possível sim comer coisas gostosas e fazer dieta ao mesmo tempo! Esse é o conceito da Clínica Dra. Camila Rodrigues Laranja, que prioriza uma dieta saudável e equilibrada, sem perder os sabores da vida.
Veja a seguir uma receita super saborosa e nutritiva para adoçar o seu fim de semana.
Ingredientes:

  • 1/2 de xícara de chá de xylitol (adoçante natural);
  • 100g de chocolate 85% cacau derretido;
  • 1 colher café de bicarbonato de sódio;
  • 1/2 xícara de chá de farinha de amêndoas;
  • 3 colheres de sopa de manteiga ghee ou óleo de Coco (vai ficar com gosto de Coco);
  • 1 pitada de canela;
  • 2 ovos.

Modo de preparo:

  • Derreter o chocolate e a manteiga ghee;
  • Bater os ovos com o adoçante;
  • Misturar os ovos, manteiga ghee e o chocolate;
  • Misturar a farinha e o bicarbonato;
  • Levar ao forno preaquecido por 30 min +- em fogo médio;

Viu como é fácil? Para se alimentar de forma saudável, um acompanhamento nutricional é importantíssimo. Só assim, você consegue saber exatamente quais são os alimentos necessários para a saúde do seu organismo.
Com uma alimentação adequada podemos melhorar sintomas de artrite, rinite, sinusite, gastrite, refluxo, compulsão alimentar, doenças auto imunes, síndrome do ovário policístico, constipação intestinal, síndrome do intestino irritável, candidíase frequente, infecção urinária de repetição, além de poder ajudar em diversos desequilíbrios estéticos como acne, queda de cabelos e unhas fracas. Interessou-se? Que tal agendar uma consulta?
Entre em contato conosco!

Como manter uma alimentação saudável na gravidez

A alimentação durante a gravidez

Como manter uma alimentação saudável na gravidez

 
A alimentação durante a gravidez deve, em primeiro lugar, ser rica em ferro para evitar os riscos de anemia a que toda gestante corre. Além do ferro, a gestante precisa de ácido fólico para que o bebê tenha uma boa formação para o sistema nervoso. Saiba mais sobre esse assunto a seguir.
 

A Alimentação durante a gravidez

 
A alimentação na gravidez também deve ter muitas frutas, legumes e verduras que sejam de origem orgânica. A gestante deve evitar consumir alimentos industrializados, deve evitar comer muitos doces, frituras e açúcar.
 

É claro que nem sempre é fácil que a gestante sozinha consiga adequar a sua rotina de alimentação a novos hábitos que tanto ela quanto o bebê precisam. Porém, é muito necessário que a gestante siga à risca as recomendações da nutricionista que a acompanha. Para ajudar nessa etapa, é indispensável o acompanhamento de um profissional!

 
Essas recomendações devem ser seguidas para a gestante evitar ter problemas de saúde como diabetes, hipertensão, baixo peso ou sobrepeso.
 

O que comer na gravidez

 
A alimentação no período da gravidez deve ser rica, além do ferro e do ácido fólico que já foram citados anteriormente, em todos os outros nutrientes. Como vitamina b12, vitamiina D, Zinco, Magnésio, Colina e etc. Muitas vezes a suplementação é necessária e deve ser feita de maneira individualizada. O profissional que te acompanha deve verificar em exames, como estão os níveis de todos esses nutrientes citados e fazer uma suplementação adequada pra você para suas carências.
As leguminosas, peixes e carne magra, como por exemplo peru e frango, também devem fazer parte do cardápio da gestante. Porém, não se deve esquecer de consumir esses alimentos cozidos ou grelhados. É essencial que a gestante evite frituras em óleos convencionais e carboidratos refinados em excesso.
É importante também a gestante deve evitar os peixes que contenham uma grande quantidade de mercúrio em sua composição. Que são: atum, cação, peixe espada, peixes maiores. Isso porque o mercúrio, ao passar pela placenta da gestante pode causar uma série de prejuízos para o desenvolvimento neurológico do bebê.
A alimentação durante a gravidez
 

Quais alimentos você deve evitar na gravidez?

 
Alguns alimentos são absolutamente proibidos para gestantes, considerando a saúde não apenas da mãe, mas também do bebê que está se formando em seu ventre. Saiba quais são alguns desses alimentos a seguir.
 

  • Bebidas Alcoólicas

O consumo de bebida alcoólica no período da gravidez pode trazer vários problemas de saúde para a gestante. No caso do bebê, o consumo de bebida alcoólica pela gestante pode causar atrasos e falhas no crescimento e no desenvolvimento do bebê.

  • Adoçantes Artificiais

Os adoçantes artificiais podem ser encontrados facilmente em produtos diet ou light que estão à venda em todos os supermercados. Isso tende a fazer com que as pessoas acreditem que esses adoçantes são benéficos para a nossa saúde. Porém, a realidade não é bem essa.
Muitos adoçantes que estão disponíveis no mercado não são seguros para serem consumidos pela gestante. Por isso, evita consumir o adoçante artificial durante o período da gravidez e em outros períodos da sua vida também.
 

  • Consumo de Bebidas Estimulantes

Bebidas estimulantes, tais como café, chá verde, Coca-Cola e energéticos em geral devem ser evitadas pelas gestantes. Essas bebidas estimulantes podem aumentar o risco de aborto espontâneo.
Para qualquer dúvida em relação ao consumo de café e das outras bebidas estimulantes aqui citadas, o ideal é consultar sua nutricionista.
 

  • Peixe cru e carne mal passada

Por conta do risco de contrair toxoplasmose, a gestante não deve consumir peixe cru ou carne mal passada em sua alimentação.
Quando for beber água, a gestante deve priorizar consumir água filtrada ou de preferência água mineral. Lembrando que a água é a nossa maior fonte de hidratação.
 
 

Agende sua consulta com um Nutricionista

 

    Consulta + Retorno por 550 reais

    Você também ganha um acompanhamento online de 60 dias por WhatsApp, falando diretamente com a Dra Camila e tem a bioimpedancia inclusa na consulta e no retorno!