Saladas sempre são saudáveis?

Aí você pede uma salada, esperando comer algo super saudável…e nem sempre ela é tãaao saudável assim!
Por exemplo, você pega um prato que tem mais presunto cru e um molho doce do que folhas.
Os molhos quando feitos com açúcar, xaropes, gorduras artificiais, corantes e conservantes não são uma boa pedida.

Veja baixo o que você pode usar para incrementar as folhas:

– Castanhas – amêndoas, nozes, castanha do Pará picada;
– Frutas picadas – pra quem gosta da mistura do doce com o salgado vale a pena tentar;
– Croutons de grão de bico – tem receita aqui em posts anteriores;
– Algumas folinhas de ervas aromáticas frescas como hortelã ou manjericão;
Já para molhos naturais:
– Limão com azeite e ervas variadas (É básico, não tem erro);
– Tahine (pasta de gergelim) com limão e azeite;
– Pesto – pode dar feito com alguma castanha + azeite e manjericão ou alguma outra folha. Trocar o manjericão por rúcula ou agrião também é boa ideia.

Reeducação alimentar: Por que é importante?

Reeducação alimentar: Por que é importante?

Reeducação alimentar: Por que é importante?

 A Reeducação Alimentar, sem dúvidas, é o melhor método para conseguir emagrecer sem correr o risco de engordar durante o processo. Saiba mais sobre esse assunto no artigo a seguir.
 

Por que a Reeducação Alimentar é importante?

Com uma reeducação alimentar você vai aprender a comer de forma saudável e mudar de fato o seu estilo de vida. Essa atitude fará com que você consiga emagrecer sem precisar recorrer a remédios ou a cirurgias plásticas.
Ou seja, a Reeducação Alimentar é a melhor maneira para emagrecer alcançando resultados definitivos e não temporários. Afinal, quando você muda os seus hábitos, você adota uma nova realidade. E nesse caso, um novo hábito não poderia trazer mais benefícios do que traz a Reeducação Alimentar.
Certamente, não há receita mais eficiente para emagrecer do que a proposta de Reeducação Alimentar. Isso porque uma reeducação alimentar propõe que você emagreça com saúde e para sempre.
 

Ou seja, os resultados da mudança de hábitos não são a curto prazo e não correspondem a uma “modinha”. A reeducação alimentar é, de fato, uma necessidade para todos nós.

 
Uma reeducação alimentar aliada a um tratamento individualizado e personalizado como propõe a nutrição funcional, te ensina a comer melhor e te dá substituições saudáveis para alimentos que você está habituado e que não são boas opções. Você pode por exemplo comer pão em um formato mais saudável e feito em casa, bolos neste formato também, pizzas, tortas. A ideia é não sofrer e evitar o que não faz bem para sua saúde e seu corpo.
Por esses e tantos outros motivos, a Reeducação Alimentar é o ponto de partida para que tenhamos uma vida mais saudável. Afinal, mesmo que você tenha uma rotina intensa de exercícios físicos, continuar se alimentando mal pode fazer inclusive com que você ganhe ainda mais peso do que já tinha antes.
Dito isso, temos que a reeducação alimentar é o melhor método que podemos considerar, uma vez que ela nos ensina a se alimentar de forma mais adequada, mantendo o nosso peso dentro da faixa ideal.
 

Como a Reeducação Alimentar funciona?

Agora que já te explicamos os motivos que tornam a reeducação alimentar tão importante para as nossas rotinas, veja a seguir as nossas dicas para que você comece a mudar os seus hábitos ainda hoje.
 

  • Não espere mais tempo

Todos nós precisamos aprender a comer melhor o quanto antes se quisermos ter maior qualidade de vida no futuro. Você não precisa ser tão radical logo no início.
Comece adotando pequenas mudanças e logo perceberá a diferença que elas terão em sua rotina e, principalmente, no seu corpo. As mudanças podem começar pequenas, mas os resultados são muitos e enormes. Aos poucos você vai mudando mais coisas e deixando sua alimentação 100% saudável, pelo menos na rotina alimentar!
 

  • Aprenda a dizer não

Tentações não faltam durante o período de uma dieta. Principalmente quando você convive com pessoas que não compartilham de hábitos alimentares saudáveis, como os que propõe a Reeducação Alimentar, esse processo tende a ser mais difícil.
Isso porque não faltarão oportunidades para que amigos e familiares te ofereçam comidas nada nutritivas. Saber recusar, nessas horas, é fundamental para não interromper a sua nova rotina de alimentação. Em alguns casos você vai abrir exceções mas lembre que exceções rotineiras, viram regra e passam a não ser mais a exceção! A ideia é ter um estilo de vida sempre saudável, com exceções pontuais e não o contrário.
Reeducação alimentar: Por que é importante?
 

  • Perceba tudo o que há de errado em seus hábitos alimentares

A autocrítica é fundamental para entrar nesse processo de Reeducação Alimentar. A mudança pode até ocorrer de forma gradativa, mas ela precisa acontecer. E promover essas mudanças depende que você esteja atento aos erros que comete em seus hábitos alimentares.
Não tenha medo de eliminar da sua dieta, os alimentos que você sabe que não lhe fazem bem. Essa atitude só depende de você.
 

  • Seja paciente

Resultados imediatos não aparecerão. E essa é uma frustração compartilhada por muitas pessoas. Porém, não é da noite para o dia que você voltará para o peso ideal. A Reeducação Alimentar exige tempo, dedicação e, principalmente, paciência. Foque na sua saúde incialmente, a perda de gordura será uma consequência.
 
Reeducação alimentar: Por que é importante?
 

  • Mastigue bastante os alimentos

A pressa na hora da refeição é uma grande inimiga da Reeducação Alimentar. Isso porque, mesmo que você esteja seguindo uma dieta favorável, os efeitos serão menores se você não contar com um bom processo de digestão.
Um alimento, quando é bem mastigado, facilita o processo digestivo e ainda faz com que a nossa sensação de saciedade se prolongue por mais tempo.
Por fim, fica a recomendação de procurar um nutricionista para te acompanhar nesse processo. A opinião de um nutricionista nunca deve ser ignorada. Esse é o profissional mais indicado para te orientar durante o processo de reeducação alimentar.
 

Agende sua consulta com um Nutricionista

 

    Consulta + Retorno por 550 reais

    Você também ganha um acompanhamento online de 60 dias por WhatsApp, falando diretamente com a Dra Camila e tem a bioimpedancia inclusa na consulta e no retorno!

    Dieta para hipertensos, o que aumenta a pressão arterial?

    Dieta para hipertensos, o que aumenta a pressão arterial?

      
    Em uma dieta para hipertensos, somente reduzir o consumo de sal e alimentos ricos em sódio não é o suficiente. Evitar produtos industrializados e super processados é importante.
    A hipertensão corresponde a um aumento da pressão existente dentro dos vasos sanguíneos. Esse aumento da pressão pode levar a pessoa a ter sérios problemas, como insuficiência real, insuficiência cardíaca, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e outras complicações. Por esses motivos é muito importante que a pessoa que sofre com hipertensão tenha uma dieta para hipertensos adequada e pensada especialmente para as suas necessidades.
     

    Alimentos que os hipertensos devem evitar

     
    É recomendado que os hipertensos evitem o excesso de sal para temperar as suas refeições. É possível substituir o sal por temperos naturais e, consequentemente, mais saudáveis do que os industrializados com sódio. Outras ervas presentes na natureza também são capazes de dar um aspecto saboroso para as refeições. Tais como alho, cebola, salsa, alecrim, cúrcuma, cebolinha, orégano. Uma dica é fazer um sal temperado.
     
    Dieta para hipertensos, o que aumenta a pressão arterial
     
    Você pode misturar ervas como alho desidratado, salsa desidratada, orégano e tomilho, acrescentar gergelim triturado e misturar com o sal. A proporção pode ser de 1 xícara de sal para 1 xícara das ervas e ½ xícara de gergelim triturado. Assim você enriquece o seu sal nutricionalmente e usa ele em menor quantidade.
    Em relação à escolha do sal, opte por sais marinhos integrais. Quanto menos refinado, melhor!
    Entre os produtos industrializados que são ricos em sódio e outros componentes inflamatórios, e que devem ser excluídos do grupo de alimentos para hipertensos, estão os caldos de carne ou de legumes, o macarrão instantâneo, e as carnes processadas como linguiça, salsinha e salame, bolachas industrializados, alimentos com farinhas refinadas. Prefira sempre alimentos em seu formato natural! Bebidas alcoólicas também não são interessantes nesses casos, então evite.
     

    Agende sua consulta com um Nutricionista

     

      Consulta + Retorno por 550 reais

      Você também ganha um acompanhamento online de 60 dias por WhatsApp, falando diretamente com a Dra Camila e tem a bioimpedancia inclusa na consulta e no retorno!

      O que você precisa saber sobre alimentação para diabéticos

      Brócolis - Alimentação para diabéticos

      Alimentação para Diabéticos

       
      A pessoa que tem diabetes deve ter maior consciência da sua alimentação. A alimentação para diabéticos, na verdade, é uma alimentação pautada por aquilo que todos nós deveríamos comer para ter uma vida mais saudável.
      Por isso, ainda que você não seja diabético, as dicas de alimentação para diabéticos que constam neste artigo também podem ser úteis para você ter uma alimentação mais equilibrada e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida.
      Certamente, o diabetes está diretamente relacionado com um hormônio chamado insulina. Com uma alimentação inadequada, com excesso de carboidratos refinados, gorduras processadas, alimentos industrializados, bebida alcoólica, doces, açúcar e etc, consequentemente, geramos mais estresse oxidativo no nosso organismo, que pode ser um gatilho para a resistência à insulina. Afinal, o estresse e seu consequente aumento de cortisol também pode levar à uma resistência a insulina. Por isso também é importante trabalhar não só o fator alimentar mas o psicológico.
       

      Alimentos que podem ou não entrar na dieta dos diabéticos

       
      A seguir, montamos uma lista com alimentos que podem ou não ser bons para quem tem diabetes.
      Sem dúvida que com uma alimentação adequada, a pessoa com diabetes consegue controlar a glicose e do mesmo modo evita problemas com hipoglicemia e hiperglicemia.
       

      • Carboidratos

      Os carboidratos são alimentos que atuam negativamente nessa doença. Deve-se evitar os carboidratos refinados e processados e em casos graves de diabetes deve-se fazer, com acompanhamento, uma dieta mais baixa em carboidratos.
       

      • Legumes e Verduras

      Recomenda-se consumir verduras e legumes tanto no almoço quanto no jantar. É recomendado que, em pelo menos uma dessas refeições, a verdura ou o legume sejam consumidores crus. Contudo, as quantidades são sempre individuais.
       

      • Gorduras

      O diabético pode se beneficiar do consumo de gorduras boas, porque essas gorduras dão saciedade e acabam diminuindo a vontade de comer doces e carboidratos. Além disso, gorduras não impactam a insulina e o aumento da glicemia como os carboidratos. São boas opções: Azeite de oliva extra virgem, abacate, castanhas, coco, etc.
       

      Quais os alimentos que contribuem para melhora do quadro ?

       

      • Canela

       A canela é uma especiaria que pode ajudar na redução dos níveis glicêmicos. Além do mais, ela pode ser acrescentada em receitas, consumida com frutas ou na forma de chás.
       
      canela - alimentação para diabéticos
       

      • Chá verde 

      Originário da china, é uma bebida muito consumida no mundo todo. Tem ação anti-inflamatória, anticarciongênica e também age na redução da hiperinsulinemia. Estudos mostram que um dos componentes do chá verde, a epigalocatequina galato, não apenas regula os níveis de glicemia como também protege a função da célula beta, preservando a produção de insulina.
       

      • Biotina

       A Biotina é uma vitamina que pode auxiliar no controle glicêmico, em conjunto com uma dieta adequada. Ela está presente na gema de ovo, nas oleaginosas (castanhas), vegetais e em frutas em geral, sendo que a maçã tem uma boa quantidade deste nutriente.
       

      • Zinco

      O zinco é um nutriente antioxidante que pode proteger a degradação da insulina e atuar como cofator na sua utilização. As fontes alimentares são: ostras, peixes, cereais integrais, castanhas, semente de abóbora, etc.
       

      • Ômega -3 

      O ômega-3 tem um efeito anti-inflamatório e pode melhorar a sensibilidade à insulina por diversas formas. Na hora de escolher um suplemento de ômega-3 é importante sempre se atentar à qualidade dele e se certificar de que ele é livre de metais pesados. Porque muitas vezes usamos suplementos de óleo de peixe de baixa qualidade que estão contaminados com metais tóxicos como mercúrio.
       

      •  Cromo

      Por último, o mais conhecido de todos. O cromo, que é tomado geralmente no formato de picolinato de cromo. Em suma, ele aumenta a ligação da insulina ao seu receptor e pode agir amplificando seu sinal. As fontes são: brócolis, cogumelos, castanhas, levedo de cerveja, etc.
       
       

      Agende sua consulta com um Nutricionista

       

        Consulta + Retorno por 550 reais

        Você também ganha um acompanhamento online de 60 dias por WhatsApp, falando diretamente com a Dra Camila e tem a bioimpedancia inclusa na consulta e no retorno!

        Atenção com as granolas!

        É comum ver as pessoas associarem granola à alimento saudável ou à dieta.
        A verdade é que até existem granolas realmente naturais e saudáveis, com grãos de alto valor nutritivo e de qualidade. Mas a maioria NÃO é assim!
        Ler a lista de ingredientes nos rótulos é muito importante. Muitas tem uma mistura grande de açúcar com outros ingredientes baratos e sem qualidade nutricional, sem contar a adição de conservantes artificiais e gorduras ruins.

        Receita de panqueca para café da manhã

        Uma boa opção de café da manhã é essa panqueca deliciosa que eu fiz!
        Bati um ovo, misturei com uma banana bem amassada e coloquei 2 colheres de sopa de farinha de aveia! Não tinha canela mas é uma boa ideia acrescentar.
        Despejei em uma frigideira grande untada com manteiga e espalhei bem.
        Virei para dourar dos dois lados.
        Depois fritei meia banana em rodelas na manteiga até ficar bem cremosa e usei para o recheio!
        Comi com manteiga ghee e café!
        #feriado #saudável #nutricionista #nutricao #saúde #fitness #panqueca #panquecafit #cafe #coffeebreak #coffee

        Zinco

        Vou aproveitar esses suplementos que ganhei da @sundown_vitaminas pra falar um pouquinho sobre o zinco!
        Hoje em dia há uma preocupação grande com níveis de vitamina D, por exemplo, mas outras vitaminas e minerais que são de igual importância para o equilíbrio do organismo são esquecidas!
        Um exemplo é o zinco, que é fundamental para imunidade, fertilidade, memória, saúde das unhas / cabelos e pele, função tireoidiana e gastrointestinal, saúde óssea entre outras atividades.
        O estresse é um dos fatores que pode reduzir vitaminas antioxidantes como Zinco, vitamina A, vitamina C e como consequência, piorar a imunidade e os fatores citados acima.
        Ele está presente naturalmente em castanhas, semente de abóbora, lentilhas, feijões, carne vermelha, camarão, etc. Mas em alguns casos precisa ser suplementado. A suplementação deve ser de acordo com seus níveis no organismo e sempre individualizada.

        Alimentos industrializados

        Alimentos industrializados

        Alimentos industrializados

        Sempre ouço no meu consultório essa frase: “já estou fazendo dieta, consumindo alimentos integrais, lights, diets, zero e NÃO ESTOU EMAGRECENDO“.

        Essas pessoas já passaram por tantas orientações, que acabam até achando que tem algum problema mais grave em seu organismo, por não conseguirem perder peso.
        Isso acontece pois de nada adianta trocar um alimento industrializado por outro. A maioria desses alimentos ditos de “dieta” são ricos em coisas químicas e inflamatórias e na minha opinião, nem deveriam ser chamados de alimentos.
        A foto acima é de um iogurte que aparentemente é saudável. Tem laranja e mel, deve fazer bem pra saúde, certo? Olhem os ingredientes:
        LEITE RECONSTITUÍDO INTEGRAL, XAROPE DE AÇÚCAR, PREPARADO DE CENOURA, LARANJA E MEL (XAROPE DE AÇÚCAR, ÁGUA, CENOURA, SUCO DE LARANJA, MEL, AMIDO MODIFICADO, AÇÚCAR, CORANTE NATURAL URUCUM, CONSERVADOR SORBATO DE POTÁSSIO, AROMATIZANTES E ESPESSANTE GOMA XANTANA), PROTEÍNA CONCENTRADA DE LEITE, SORO DE LEITE EM PÓ E FERMENTO LÁCTEO.
        Pra quem ainda olha a tabela nutricional do alimento, comece a ver os INGREDIENTES. Vejam quanto açúcar tem nesse produto. Os primeiros ingredientes são os que estão em maior quantidade!
        Com certeza existem também alimentos industrializados mais saudáveis, sem aditivos ruins. Temos que ter atenção ao escolher os alimentos!
        Meu objetivo em consulta é mostrar aos meus pacientes quais são os alimentos verdadeiramente saudáveis, e que comer de forma saudável é sim prazeroso! Sempre ouço ao final do tratamento: foi muito mais fácil do que eu imaginava! E essa é a meta, fazer a dieta ser algo fácil e acessível para todos!
         

        Agende sua consulta com um Nutricionista

         

          Consulta + Retorno por 550 reais

          Você também ganha um acompanhamento online de 60 dias por WhatsApp, falando diretamente com a Dra Camila e tem a bioimpedancia inclusa na consulta e no retorno!


           

          Compulsão por doces

          A compulsão por doces e carboidratos é muito comum. Vou explicar um pouco dos motivos e as estratégias para ajudar nesses casos.
          Açúcar e carboidratos (principalmente os refinados e de alto índice glicêmico) aumentam nossa insulina e glicemia. Frequentemente as pessoas exageram no consumo desses alimentos e isso causa picos glicêmicos e de insulina. Após esse pico, temos uma queda (hipoglicemia) e nessa hora, temos vontade de comer doces e carboidratos novamente. Esse também é um dos motivos que levam as pessoas pensarem que tem hipoglicemia por falta de açúcar, quando na verdade elas tem uma hipoglicemia por excesso de carboidratos refinados e açúcar!
          O ideal nesses casos, é fazer um planejamento alimentar com menos carboidratos, isento de açúcar e com boas quantidades de proteínas e gorduras boas. Essas quantidades são sempre individuais, cada um tem uma necessidade.

          Feito isso, fica claro que essa compulsão aumenta cada vez que consumimos alimentos ricos em carboidratos e açúcares, logo somente a atitude de reduzir o consumo já ajuda a controlar a compulsão. Além disso utilizar alimentos ricos em gorduras boas e que ajudam a dar saciedade, pode ser uma estratégia. Fitoterápicos específicos podem ser interessantes nesses casos também e a suplementação de nutrientes deficientes (individuais para cada organismo) pode ajudar a equilibrar a produção de neurotransmissores como a serotonina, que também atua reduzindo essa vontade excessiva por doces.
          Uma dica é começar tirando açúcares, farinhas e alimentos industrializados (a maioria deles contém açúcar “escondido”). Ninguém precisa de AÇÚCAR para viver, ele não é um nutriente essencial e não tem serventia nenhuma no organismo. Comece a se acostumar com o sabor natural dos alimentos. Incluir novos hábitos é um desafio, mas é muito possível quando insistimos!