Saúde respiratória: como os alimentos podem intervir nesta situação?

Saúde respiratória: como os alimentos podem intervir nesta situação?

Saúde respiratória: como os alimentos podem intervir nesta situação?

É normal que quando o inverno chega ficamos propensos a adotar culturalmente hábitos alimentares diferentes do que estamos acostumados no verão, ou em qualquer outro período. Afinal, alimentos quentes e calóricos comparados aos frios nesta época do ano não parecem fazer mal. É com este pensamento que muitas pessoas se enganam e acabam prejudicando a saúde intestinal, e por conseguinte, a saúde respiratória. Se você faz parte destas pessoas e gostaria de entender o que fazer para melhorar a saúde respiratória no inverno, continue lendo o texto.
No frio, a baixa umidade do ar e as mudanças de temperatura são motivos de preocupação. Mas mesmo assim, as pessoas não dão atenção para um item fundamental: a alimentação. Ela está diretamente ligada as principais enfermidades dessa época, como gripes, resfriados, rinite, sinusite, asma, bronquite, entre tantas outras.
A melhor forma de combater ou evitar essas doenças é através da imunidade. “Hoje em dia já sabemos que a imunidade tem uma relação direta com a saúde intestinal. O nosso intestino funciona como uma barreira para entrada de organismos patogênicos e por isso devemos mantê-lo sempre saudável e íntegro”, explica a nutricionista funcional Camila Laranja.
Se você possui alguma doença respiratória, antes de ir em busca do que tomar ou o que comer para melhorara-la, é importante realizar uma averiguação de como está a sua saúde intestinal.
Muitos não sabem, mas o intestino é um órgão responsável pela imunidade da pessoa. Se ele está desequilibrado, consequentemente, a imunidade é a mais atingida. Por isso, é importante cuidar dele para que a imunidade esteja alta, e assim, prevenir ou solucionar questões respiratórias. Até porque, um intestino equilibrado vai proteger o corpo de vírus, bactérias e do excesso de fungos. Os quais, na maioria das vezes, são responsáveis por desencadear um ciclo de doenças respiratórias.

Como cuidar disso?

O que vai definir se o nosso intestino está ou será prejudicado é a nossa alimentação. Pois consumir alimentos industrializados em excesso comprometem a nossa imunidade. Por isso, fazer uma auto avaliação em relação do que está ingerindo de ruim será efetivo para uma mudança alimentar.
Se você está disposto a mudar o hábito alimentar atual para para ajudar a saúde intestinal e prevenir que os sintomas respiratórios aumentem, o ideal é ingerir prebióticos e probióticos. Ou seja, alimentos como: kombucha (repõem bactérias boas no intestino), fibras, alho, batata doce, banana verde, gengibre, coco, geléia real, entre outros. Alguns destes vão alimentar as bactérias boas do intestino e outros são bons para a imunidade.
Enquanto alguns alimentos beneficiam, outros devem ser evitados por ter um
potencial alergênico maior. Os grandes vilões são o leite e seus derivados, assim como o trigo, glúten, soja e oleaginosas, além dos alimentos processados com aditivos químicos, conservantes,emulsificantes e adoçantes artificiais. É importante excluir alimentos agressores para recuperar a mucosa gástrica e intestinal e dar preferência à alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, temperos naturais e água em quantidade adequada.
Se você ingerir em quantidades e horários adequados sentirá a mudança gradativamente em sua saúde intestinal e respiratória. Mas é muito importante acrescentar que além de ingerir estes alimentos, você deve cuidar para não esquecer de outras práticas no inverno. Como por exemplo, realizar atividades físicas.
A vista disso, percebe-se que não é apenas uma única questão que envolve a recuperação da saúde respiratória. Mas sim, um conjunto de fatores que englobam aquilo que muitas vezes são despercebidas pelas pessoas. Devido a isso, em alguns casos é necessário o acompanhamento de um profissional na área para auxiliar no processo de recuperação da saúde intestinal.
 

glorium

Deixe uma resposta