Tag alimentação complementar

Introdução da alimentação complementar

Ao iniciar a alimentação complementar devemos nos atentar a fatores importantes:

  • Os hábitos alimentares da família influenciam diretamente nos hábitos da criança. É essencial que os pais, avós e familiares deem o exemplo e se alimentem de forma saudável sempre.

 

  • Os sabores vivenciados pela criança da fase de introdução alimentar até os 3 anos de idade mais ou menos, podem influenciar as preferências alimentares subsequentes.

 

  • Ao oferecer alimentos muito doces e muito condimentados as crianças tendem a diminuir o interesse por frutas, verduras e legumes em sua forma natural.

 

  • As crianças desenvolvem um autocontrole no seu consumo energético, por isso os horários de alimentação não devem ser muito rígidos e devem respeitar a vontade da criança.

 

  • A variedade dos alimentos é muito importante, pois cada um fornece um tipo de nutriente que terá um papel específico no desenvolvimento do bebê. É comum os pais desistirem de variar alimentos quando nos primeiros contatos o bebê demonstra certa aversão, porém são necessárias de 8 à 10 exposições para que um novo alimento seja aceito pela criança.

 

  • Os alimentos complementares devem ser oferecidos utilizando-se colher e copo. As mamadeiras devem ser evitadas, pois além de apresentarem alto risco de contaminação elas prejudicam a dinâmica oral da criança. O desmame precoce também pode ocorrer com a introdução de mamadeiras, havendo uma “confusão de bicos” gerada por uma diferença marcante entre sugar nas mamas e no bico da mamadeira.